"Pedras no caminho? Guardo-as todas, um dia vou construir um castelo... " Fernando Pessoa

28
Jun 09

 

 

publicado por Quem ontem fui já hoje em mim não vive às 03:53

17
Jun 09

 

"Um menino olhava para a avó a escrever uma carta. A certa altura, perguntou:

    - Estás a escrever uma história que aconteceu connosco? E, por acaso, é uma história sobre mim?

A avó parou de escrever a carta, sorriu e comentou com o neto:

    - Estou a escrever sobre ti, é verdade. No entanto, mais importante do que as palavras, é o lápis que estou a usar. Gostava que tu fosses como ele, quando cresceres.

O menino olhou para o lápis, intrigado, e não viu nada de especial.

    - Mas ele é igual a todos os lápis que vi na vida!

    - Tudo depende do modo como tu olhas para as coisas. Há nele cinco qualidade que, se as conseguires manter, farão de ti uma pessoa sempre em paz com o mundo.

    »A primeira qualidade: tu podes fazer grandes coisas, mas nunca te deves esquecer de que existe uma Mão que guia os teus passos. A esta mão chamamos Deus, e Ele deve sempre conduzir-te em direcção à Sua vontade.

     »A segunda qualidade: de vez enquando, é preciso parar de escrever e usar o afia-lápis. Isso faz com que o lápis sofra um bocado, mas deixa-o mais afiado. Portanto, aprende a suportar algumas dores, porque elas farão de ti uma pessoa melhor.

     »A terceira qualidade: o lápis permite sempre que usemos uma borracha para apgar aquilo que está errado. Percebe que corrigir uma coisa que fizemos não é necessarieamente mão, mas importante para nos manter no caminho da justiça.

     »A quarta qualidade: o que realmente importa no lápis não é a madeira ou a sua forma exterior, mas o grafite que está dentro. Portanto, presta sempre atenção aquilo que acontece dentro de ti.

 

     »Finalmente, a quinta qualidade do lápis:ele deixa sempre uma marca. Da mesma maneira, compreende que tudo o que tu fizeres na vida vai deixar traços, por isso tenta ser consciente de todas as tuas acções."

Paulo Coelho

 

«Há uma linha de Verlaine de nunca mais me lembrarei.

Há um espelho que já me viu pela última vez.

Há uma porta fechada até ao final dos tempos.

Entre os livros da minha biblioteca

Há algum que já não tornarei a abrir.»

Jorge Luis Borges

publicado por Quem ontem fui já hoje em mim não vive às 01:55

09
Jun 09

 

Como esta vida é, ao mesmo tempo, simples e complexa.

Se agora estamos tristes, logo a seguir já pulamos de alegria; hoje desesperamos por dias melhores, e no dia seguinte vivemos o melhor da nossa vida; tanto somos tudo, como não somos nada.

Ah! Que irónica, que poética é a vida. Cena de cinema, drama de teatro, declamação de um belo poema francês. Rodopio por entre lágrimas e sorrisos, com memórias que não são minhas, com vidas que não me pertencem, com experiências furtadas. Mas sou tudo isso, e muito mais. Somos.

“Que a máscara de hoje se faça sincera”, pedirmos antes de sair de casa. Mas como se consegue viver assim? Sem ser genuíno, fabricando tudo?

Mas quem sou eu, ou somos nós, minhas múltiplas personalidades bipolares, para julgarmos quem quer que seja? Que se fabrique a alegria! Que se ponha a máscara! Cada um sabe o que lhe faz feliz, cada um escolhe tanto a sua companhia como a sua solidão.

Apesar de sermos grãos de areia no mar/ deserto chamado Humanidade, somos seres livres, que voam sem asas, que amam sem reservas, que morrem sem ninguém. Sim, morre-se sozinho, mas preenchido pelas folhas de papel escritas, pelas músicas gravadas na alma, pelas palavras por dizer e pelas palavras que soltamos ao mundo. Então, não, não morremos sós. Morremos com a bagagem de uma vida inteira, vasta como o universo, mesmo sendo nós formiguinhas na colónia de um pequeno planeta perdido entre o Sol e tudo o resto que desconhecemos, chamado “Terra”.

Somos isto e tudo mais. Porquê ter medo? Porquê desesperar? Ninguém morre só. Todos morremos acompanhados pela nossa solidão.

 

Ah! Que bela prosa teórica sobre nada em especial, sobre tudo no fundo!

publicado por Quem ontem fui já hoje em mim não vive às 22:12
sinto-me: ...
música: Elephant - Damien Rice

Junho 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

29
30


subscrever feeds
mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

5 seguidores

pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

As minhas Imagens favoritas
blogs SAPO