"Pedras no caminho? Guardo-as todas, um dia vou construir um castelo... " Fernando Pessoa

24
Nov 09

 

 

Nas raízes do meu pensar nasceram tantas coisas com o passar do tempo. Algumas

amadureceram e se fizeram fortes, claras, verdades para mim. Outras deixaram se embrenhar nas dúvidas de palavras, de gestos, de sentimentos. A dúvida apodera-se de mim constantemente e faz da sua melhor amiga a minha insegurança.

Nas ramificações do meu pensar pulsa o meu sentir, que por todos os meios tento não notar que ele deveras existe. Não olho às impossibilidades, porque a realidade intormete-se entre mim e o mundo imaginário que construi com o meu querer oculto. Ninguém sabe...nem eu sei tudo que faz parte dessa terra que se esconde por detrás do tronco do meu racíocinio. Existe muito terreno virgem,por explorar.

E eu tenho medo de pisar caminhos movediços que me façam cair naquele lugar que, na verdade, sonho em me perder: o amor.

E a desconfiança do Mundo me fez assim, amedrontada. Medo é o grande componente do meu pensar. O que me faz andar, o que me faz parar.

Não quero ser sua marioneta, não quero ser isto. Quero ser tudo que me compõe. Tal como uma orquestra não sobrevive sem as suas cordas, as suas mãos, e todos esses outros instrumentos, eu quero ser a sinfonia suprema do maior génio dentre todas as minhas células.

Mas deparo-me com estas dúvidas. É que, simplesmente...

 

...Não sei o que queres de mim.

 

Não sei se serei, se serás, se seremos, se serão.

 

Não sei. E não saber me deixa assim...com medo de puxar a cortina para ver a sinfonia final, de ver tudo o que sou, ao mesmo tempo de tudo o que vês.

 

Não sei o que queres de mim.

publicado por Quem ontem fui já hoje em mim não vive às 02:45

Saberia eu o que dizer, se as palavras fizessem algum sentido neste mundo.

Os silêncios são longas horas de conversas reveladoras de mil e umas histórias que se entrelaçam por entre a luz do dia e os mistérios da noite.

E eu ouço tudo enquanto durmo, enquanto me faço à estrada, enquanto olho para o lado... Tudo é uma presença constante, estas histórias de outros que não eu.

Talvez eu tenha sido criada para sorrir perante a felicidade alheia e abençoa-la.

Talvez nunca possa sorrir pelo que sinto, se o que eu sinto for proíbido, se não me for permitida essa benção que é amar.

Talvez, talvez... Enquanto isso sigo o caminho.

publicado por Quem ontem fui já hoje em mim não vive às 01:36

01
Nov 09

 

 

Tre metri sopra il cielo ^_^

publicado por Quem ontem fui já hoje em mim não vive às 03:20
sinto-me:
música: Tiziano Ferro - Sere Nere

Novembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
25
26
27
28

29
30


subscrever feeds
mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

5 seguidores

pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Twitter
As minhas Imagens favoritas
blogs SAPO