"Pedras no caminho? Guardo-as todas, um dia vou construir um castelo... " Fernando Pessoa

05
Jul 09

 

O ciclo da felicidade...

Nunca tinha pensado na felicidade nesses moldes. Mas, na verdade, faz sentido.

 

Como é sabido, existem 3 grandes acontecimentos na vida: nascer, crescer e morrer.

Quando nascemos, somos aqueles pequenos seres felizes. E somos felizes só de ouvir o som da voz da nossa mãe ou do nosso pai. E aí, no pleno da nossa felicidade, damos aquela gargalhada maravilhosa que enche uma casa de alegria desmesurada.

Vamos crescendo, e enquanto crianças continuamos felizes:  brincamos, sorrimos, amamos tudo à nossa volta com uma intensidade infantil e, portanto, grandiosa.

 

Depois chega a adolescência. Aí, a felicidade começa a ser intermitente. Há tanto por descobrir! E se há coisas verdadeiramente boas, como o primeiro amor, a intensidade e fugacidade de tudo, também há coisas más, muito más. O sentido de constante mudança é inebriante, desafiador. Ser adolescente é sempre ser um pouco louco, no bom e no mau sentido. Mas ainda existe felicidade, embora, como já referi, intermitente.

 

Depois chegamos ao ponto de rotura, onde o meio envolvente nos obriga a crescer, exiige que sejamos menos rebeldes endiabrados, e mais formiguinhas trabalhadoras responsáveis. Dá-mo-nos conta de que o mundo é uma montanha russa. E se na adolescência a montanha russa enche-nos de adrenalina e nos torna imprudentes, loucos, enquanto adultos a montanha russa revela-se traiçoeira. Começamos a apercebermo-nos que a vida não é um mar de rosas, que temos que ter cuidado em quem confiamos, e que encontrar o amor da nossa vida, aquele que nos trará estabilidade e filhos, não é nada fácil de encontrar. E mesmo quando encontramos, o casamento trás enormes desafios. Com o acumular de tudo isto somos mais vezes infelizes do que felizes.

 

Mas depois do choque do crescimento em bruto, amadurecemos. E aí começamos verdadeiramente a apreciar as boas coisas da vida. Saboreamos o momento no cada vez maior estado de graça que a sabedoria que vamos acumulando nos dá. Vamos envelhecendo. E o que não é mais o envelhecimento do que o caminho de volta à felicidade?

 

Sim, a vida é um ciclo. Mas não é um ciclio maravilhosamente delicioso de ser vivido? Então deixo a pergunta: 'Bora lá ser feliz? :D

 

P.S.: Já agora, este texto dedico à prima mais espetacular, a irmã que nunca tive, a minha prima Andreia.

Estou tão feliz por teres entrado nesta fase feliz da tua vida. Depois de tudo, és finalmente feliz. És a prova viva de que a vida, por mais madrasta que seja, é algo maravilhoso que recompensa quem o merece. Adoro-te! Estou feliz com a tua felicidade, e que ela continue presente na tua vida sempre!

publicado por Quem ontem fui já hoje em mim não vive às 01:00
sinto-me: ÓPTIMA! :D
música: Lay all your love on me - Mamma Mia soundtrack

comentário:
Minha Querida Prima...
É tendo pessoas como tu ao lado, que se consegue seguir em frente, muitas vezes armada e cheia de muniçoes mas infelizmente so assim damos a volta por cima!!!


Obrigada Isa.
Tambem te Adoro Muito:)
Andreia Salazar a 5 de Julho de 2009 às 01:46

Julho 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

5 seguidores

pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

As minhas Imagens favoritas
blogs SAPO