"Pedras no caminho? Guardo-as todas, um dia vou construir um castelo... " Fernando Pessoa

24
Out 09

 

Existem pessoas muito especiais. E, pensando bem ,elas aparecem na altura certa...

 

Uma amiga que conheci muito recentemente falou-me de muita coisa que me deixou a pensar. Falou-me que todos temos uma predesposição nesta vida, mas que somos nós que tomamos as decisões e que são essas que vão nos levar ao bom ou ao mau caminho.

 

Ela foi uma luz na minha vida, e nunca a vou esquecer. Tal como ela, já tive outras luzes que tentaram me orientar para o melhor caminho, a estrada de volta a mim, ao que sou realmente. Só que eu, que andava e ando bastante perdida neste Mundo, não tive a sabedoria nem o tacto suficiente para os ouvir verdadeiramente e perceber o que me queriam dizer.

 

Sempre fui uma pessoa muito carente e muito egoísta. O egoismo talvez não tenha nascido comigo, mas eu, que tantas vezes me fechei em mim e desprezei o mundo, cultivei esse egoismo de tal forma que agora sou um ser do qual não gosto: egoista, mesquinha, sozinho, triste... A carência fez-me mendigar por amor, quando se desse valor ao que e a quem realmente importa, era coisa que não me faltaria nunca.

 

Não me considero má pessoa. Simplesmente perdi-me algures no caminho quando acreditei nos outros e na visão que estes tinham de mim. E como tudo na vida, tenho que sofrer as consequências. Talvez tenha perdido para sempre aqueles que realmente me amaram incondicionalmente, os que tantas vezes me tentaram abrir os olhos e eu não os ouvi realmente.

 

A verdade é que, mesmo sendo egoista como sou, sempre me preocupei e sempre pensei neles. Sempre me preocupou saber como estavam, o que lhes precoupava. Mas, fechada sobre mim, so eu importava e não soube me dedicar a ouvi-los e a tentar ajudá-los como fazia no passado.

 

Houve um grande amigo meu que teve problemas com drogas. Ele durante muito tempo foi o meu porto de abrigo. Passava o dia inteiro à espera da altura em que poderiamos falar sobre tudo. Os sonhos, os sonhadores... Lembro-me tão bem desses tempos.

Um dia ele desapareceu. Ele não sabe, mas, sabendo que ele tinha o problema que tinha, chorei tantas vezes desesperada por não ter uma notícia dele. Rezei para que ele estivesse bem, para que os meus medos fossem em vão. E mesmo quando alguém me disse coisas más a respeito dele, tentando me semear a dúvida sobre o seu carácter, eu não acreditei em nada. Eu conhecia-o bastante bem, e além disso a minha intuição sempre me disse que ele tinha bom coração, que era uma excelente pessoa, em quem poderia sempre confiar.

Passamos meses (ano(s)?) sem nos falar. Nunca me esqueci dele. E sempre que pensava na palavra "amigo" era ele um dos primeiros a aparecer-me no pensamento.

Voltamos a falar. Entretanto mudei. Para muito pior. Tornei-me descrente na vida, nas pessoas, no futuro, nos sonhos, e sobretudo em mim. Passei a odiar-me, a ter vergonha de mim, admito. Ele bem que tentou alertar-me, chamar-me à razão. Mas não adiantou. E afastei-o de mim. E penso que de vez.

 

*

Essa amiga que conheci recente falou-me de algo que já tinha ouvido falar, mas não dei muita importância: a lei da atracção. Disse-me que tudo o que enviamos para o universo, vem de volta para nós. Portanto, se pensamos coisas negativas, acontecem-nos coisas negativas ( e vice-versa) ou se nos vemos de certa forma o Mundo também nos vai ver.

Ela explicou-me que somos nós que temos que mostrar ao mundo quem somos e não o mundo que tem de nos dizer como devemos ser.

 

Esta última semana foi muito importante para mim, tal como a Alda foi. Abriu-me os olhos para muita coisa. Sei que já perdi muitos amigos e muita coisa por minha burrice, por minha culpa. Não posso voltar atrás. Mas posso e devo olhar para a frente.

A minha missão pessoal tornou-se clara para mim. Devo todos os dias cultivar o amor incondicional, o amor ao próximo. No fundo, fazer o bem e "matar" este egoismo que cresceu em mim desmesuradamente.

 

Deus nos criou para amarmos e sermos amados. Quem vê o Deus punidor, não vê Deus. Ele é amor e nós, como seus filhos, somos amor também.

Sempre soube, mas não quis dar importância. Mas as pessoas especiais são enviados de Deus para nos abrir os olhos. E a resposta para tudo está sempre dentro de nós, e não fora.

 

Por tudo isto, agradeço aos que foram e/ou são meus amigos hoje. Nunca me esqueci nem nunca esquecerei os verdadeiros. E peço desculpa pelo que fui. Mas não posso voltar atrás.

publicado por Quem ontem fui já hoje em mim não vive às 15:55
música: Making me better - Lullabye

comentário:
Por quem tocam os sinos a rebate,
repicando teu ser, tua assunção:
vou daqui, para qualquer parte,
levando-te comigo, em meu coração.


posso estar longe...nem sempre estar contactavel..
mas tu ja fazes parte de mim..
mesmo que virtualmente..
e uma ligaxao que pretendo
fazer com que seja vitalicia..
A força da nossa amizade vence todas as diferenças...
Aliás... para que diferenças se somos amigos?
Quando erramos... nos perdoamos e esquecemos
Se temos defeitos... não nos importamos...
Trocamos segredos... e respeitamos as divergências...
Nas horas incertas, sempre chegamos no momento certo...
Nos amparamos... nos defendemos...
sem pedir...
fazemos porque nos sentimos felizes em fazer...
Nos reverenciamos... adoramos... idolatramos... apreciamos... admiramos.
Nos mostramos amigos de verdade,
quando dizemos o que temos a dizer...
Nos aceitamos , sem querer mudanças...
Estamos sempre presente,
não só nos momentos de alegria,
compartilhando prazeres,
mas principalmente nos momentos mais difíceis...
imprevisivel a 26 de Outubro de 2009 às 00:48

Outubro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

11
12
13
14
15
17

18
19
20
21
22
23

25
29
30
31


mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

5 seguidores

pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

As minhas Imagens favoritas
blogs SAPO