"Pedras no caminho? Guardo-as todas, um dia vou construir um castelo... " Fernando Pessoa

24
Out 09

 

Existem pessoas muito especiais. E, pensando bem ,elas aparecem na altura certa...

 

Uma amiga que conheci muito recentemente falou-me de muita coisa que me deixou a pensar. Falou-me que todos temos uma predesposição nesta vida, mas que somos nós que tomamos as decisões e que são essas que vão nos levar ao bom ou ao mau caminho.

 

Ela foi uma luz na minha vida, e nunca a vou esquecer. Tal como ela, já tive outras luzes que tentaram me orientar para o melhor caminho, a estrada de volta a mim, ao que sou realmente. Só que eu, que andava e ando bastante perdida neste Mundo, não tive a sabedoria nem o tacto suficiente para os ouvir verdadeiramente e perceber o que me queriam dizer.

 

Sempre fui uma pessoa muito carente e muito egoísta. O egoismo talvez não tenha nascido comigo, mas eu, que tantas vezes me fechei em mim e desprezei o mundo, cultivei esse egoismo de tal forma que agora sou um ser do qual não gosto: egoista, mesquinha, sozinho, triste... A carência fez-me mendigar por amor, quando se desse valor ao que e a quem realmente importa, era coisa que não me faltaria nunca.

 

Não me considero má pessoa. Simplesmente perdi-me algures no caminho quando acreditei nos outros e na visão que estes tinham de mim. E como tudo na vida, tenho que sofrer as consequências. Talvez tenha perdido para sempre aqueles que realmente me amaram incondicionalmente, os que tantas vezes me tentaram abrir os olhos e eu não os ouvi realmente.

 

A verdade é que, mesmo sendo egoista como sou, sempre me preocupei e sempre pensei neles. Sempre me preocupou saber como estavam, o que lhes precoupava. Mas, fechada sobre mim, so eu importava e não soube me dedicar a ouvi-los e a tentar ajudá-los como fazia no passado.

 

Houve um grande amigo meu que teve problemas com drogas. Ele durante muito tempo foi o meu porto de abrigo. Passava o dia inteiro à espera da altura em que poderiamos falar sobre tudo. Os sonhos, os sonhadores... Lembro-me tão bem desses tempos.

Um dia ele desapareceu. Ele não sabe, mas, sabendo que ele tinha o problema que tinha, chorei tantas vezes desesperada por não ter uma notícia dele. Rezei para que ele estivesse bem, para que os meus medos fossem em vão. E mesmo quando alguém me disse coisas más a respeito dele, tentando me semear a dúvida sobre o seu carácter, eu não acreditei em nada. Eu conhecia-o bastante bem, e além disso a minha intuição sempre me disse que ele tinha bom coração, que era uma excelente pessoa, em quem poderia sempre confiar.

Passamos meses (ano(s)?) sem nos falar. Nunca me esqueci dele. E sempre que pensava na palavra "amigo" era ele um dos primeiros a aparecer-me no pensamento.

Voltamos a falar. Entretanto mudei. Para muito pior. Tornei-me descrente na vida, nas pessoas, no futuro, nos sonhos, e sobretudo em mim. Passei a odiar-me, a ter vergonha de mim, admito. Ele bem que tentou alertar-me, chamar-me à razão. Mas não adiantou. E afastei-o de mim. E penso que de vez.

 

*

Essa amiga que conheci recente falou-me de algo que já tinha ouvido falar, mas não dei muita importância: a lei da atracção. Disse-me que tudo o que enviamos para o universo, vem de volta para nós. Portanto, se pensamos coisas negativas, acontecem-nos coisas negativas ( e vice-versa) ou se nos vemos de certa forma o Mundo também nos vai ver.

Ela explicou-me que somos nós que temos que mostrar ao mundo quem somos e não o mundo que tem de nos dizer como devemos ser.

 

Esta última semana foi muito importante para mim, tal como a Alda foi. Abriu-me os olhos para muita coisa. Sei que já perdi muitos amigos e muita coisa por minha burrice, por minha culpa. Não posso voltar atrás. Mas posso e devo olhar para a frente.

A minha missão pessoal tornou-se clara para mim. Devo todos os dias cultivar o amor incondicional, o amor ao próximo. No fundo, fazer o bem e "matar" este egoismo que cresceu em mim desmesuradamente.

 

Deus nos criou para amarmos e sermos amados. Quem vê o Deus punidor, não vê Deus. Ele é amor e nós, como seus filhos, somos amor também.

Sempre soube, mas não quis dar importância. Mas as pessoas especiais são enviados de Deus para nos abrir os olhos. E a resposta para tudo está sempre dentro de nós, e não fora.

 

Por tudo isto, agradeço aos que foram e/ou são meus amigos hoje. Nunca me esqueci nem nunca esquecerei os verdadeiros. E peço desculpa pelo que fui. Mas não posso voltar atrás.

publicado por Quem ontem fui já hoje em mim não vive às 15:55
música: Making me better - Lullabye

Março 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


posts recentes

Amor Incondicional

mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

5 seguidores

pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

As minhas Imagens favoritas
blogs SAPO