"Pedras no caminho? Guardo-as todas, um dia vou construir um castelo... " Fernando Pessoa

12
Abr 16

Existe uma palavra que corre solta e facilmente por aqui e por ali...a palavra gentileza.

 

Gentilmente, deveríamos de julgar menos, respeitar mais. A minha dor não é a tua, e a tua não é a minha. Só nós temos acesso aos confins do eu. O filme da nossa vida, onde estão todas as nossas memórias,alegrias, tristezas, sofrimentos, erros e aprendizagens, não passa numa sala de cinema, mas dentro de nós.

 

Gentilmente, deveríamos nos conectar mais, ter mais empatia. Se olhas para os teus pares como seres humanos, e não como indivíduos de outra nacionalidade, de outra etnia ou outra cultura, então pratica um exercício todos os dias, pondo simplesmente a questão: e se fosse eu? Colocarmo-nos nos pés dos outros, ter empatia, enriquece-nos quanto eu, enquanto nós, humanidade.

 

Gentilmente, deveríamos ser mais cientes do passado para construir um futuro melhor. Os erros foram feitos para aprendermos com eles. É certo que viver não é fácil, e a vida não vem com um manual de instruções. Mas ao menos, aproveitamos os erros para saber o que não fazer, ou fazer diferente.

 

Gentilmente, deveríamos amar mais e odiar menos. Amar não é só um verbo, então não o uses de forma leviana. Ama com os actos, não somente com as palavras.

 

Gentilmente, sê gentil. Acredita, é contagioso.

 

 

publicado por Quem ontem fui já hoje em mim não vive às 22:51

27
Out 09

 

        "É preciso correr riscos, dizia ele. Só percebemos realmente o milagre da vida quando deixamos que o inesperado aconteça.

         Deus dá-nos todos os dias - junto com o sol - um momento em que é possível mudar tudo o que nos deixa infelizes. Todos os dias procuramos fingir que não percebemos esse momento, que ele não existe, que hoje é igual a ontem e será igual ao amanhã. Mas, quem presta atenção ao seu dia, descobre o instante mágico. Ele pode estar escondido na altura em que enfiamos a chave na porta, pela manhã, no instante de silêncio logo após o jantar, nas mil e uma coisas que nos parecem iguais. Mas esse momento existe - um momento onde toda a força das estrelas passa por nós, e nos permite fazer milagres.

          Às vezes, a felicidade é uma benção - mas geralmente é uma conquista. O instante mágico do dia ajuda-nos a mudar, faz-nos ir em busca dos nossos sonhos. Vamos sofrer, vamos ter momentos difíceis, vamos enfrentar muitas desilusões. Mas tudo isso é passageiro e não deixa marcas. E, no futuro, poderemos olhar para trás com orgulho e fé.

          Mas pobre de quem teve medo de correr riscos. Porque esse talvez não se decepcione nunca, nem tenha desilusões, nem sofra como aqueles que têm um sonho a seguir. Mas quando olhar para trás - porque olhamos sempre para trás - vai ouvir o seu coração dizer: «O que fizeste com os milagres que Deus semeou nos teus dias? O que fizeste com os talentos que o teu Mestre te confiou? Enterraste-os bem fundo numa cova, porque tinhas medo de perdê-los. Então, esta é a tua herança: a certeza que desperdiçaste a tua vida.»

          Pobre daquele que escuta as palavras. Porque então acreditará em milagres, mas os instantes mágicos da vida já terão passado."

 

Paulo Coelho, em "Na Margem do Rio Piedra eu Sentei e Chorei"

 

"Na Margem do Rio Piedra eu Sentei e Chorei" é o meu livro preferido de todos os que já li. Fala sobre amor, sobre religião, sobre magia e fé. Mas sobretudo fala sobre a vida. E este é um dos textos que mais gosto. É soberbo. E quero adópta-lo como uma das minhas filosofias de vida.

 

publicado por Quem ontem fui já hoje em mim não vive às 19:14
sinto-me: Happy happy! :D
música: P. Diddy & Faith Hill - Every Breath You Take

28
Ago 09

 

Seremos livres, simplesmente por amarmos essa tal Liberdade. As correntes que nos prendem são criadas por nós e pelos outros, quando o medo da solidão anda à solta.

 

Quero voar sem destino, sem rumo. Simplesmente voar, amar, viver e tudo mais que isso traz agarrado a si. Quero, mas nem sempre posso. Estas correntes... Deliceram-me a carne, restrigem-me a alma. A sonhadora que há em mim protesta constantemente.

 

Mas nada disto importa. Parto quando quero, vou aonde posso. Não preciso de caminhar com os pés. Percorro mil e um mundos na minha mente fértil.

 

E só sei uma coisa, até agora. Algo que desejo ardentemente.

 

Se tiver que chorar, que chore de alegria.

Se tiver que morrer, que morra de amor.

publicado por Quem ontem fui já hoje em mim não vive às 00:25
sinto-me: Happy
música: Sara Bareilles - Between the lines

02
Ago 09

 

Hoje de manhã saí muito cedo,
Por ter acordado ainda mais cedo
E não ter nada que quisesse fazer...

Não sabia que caminho tomar
Mas o vento soprava forte, varria para um lado,
E segui o caminho para onde o vento me soprava nas costas.

Assim tem sido sempre a minha vida, e
Assim quero que possa ser sempre --
Vou onde o vento me leva e não me
Sinto pensar.

Alberto Caeiro

publicado por Quem ontem fui já hoje em mim não vive às 16:15
sinto-me: :)
música: The Wrestler - Bruce Springsteen

Março 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


subscrever feeds
mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

5 seguidores

pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Twitter
As minhas Imagens favoritas
blogs SAPO